Número 39
Publicado pelo Jornal do Brasil, de 15 de abril de 2000, pg. 16.
CONJUNTURA


Falta de Foco
O Brasil tem conseguido obter alta credibilidade no mercado internacional: de uma escala de 0 a 3, o índice de confiança no país alcançou 1,41, enquanto o México obteve 1,25 e a Argentina 1,01. A boa performance nacional segundo os principais investidores estrangeiros (executivos das mil maiores transnacionais ao redor do mundo) não é fruto do acaso; ao contrário, é resultado de um enorme e gradual esforço do governo, sobretudo, por parte do Banco Central.

Uma das vantagens disso, por exemplo, é a posição bem confortável alcançada pelo país, em financiar o déficit em transações correntes por meio do capital mais cobiçado do mundo. Nos primeiros meses do ano, os investimentos diretos estrangeiros cobriram mais do que a totalidade da necessidade de financiamento externo: 122,9%.

Este resultado, que causaria inveja a qualquer país emergente, não pode aqui ser comemorado. Neste momento, a atenção de todos nós, brasileiros, tem sido a de acompanhar as péssimas noticias oriundas da área política: corrupção, narcotráfico, brigas e acusações nada levianas.

Os congressistas, que deveriam estar direcionados para a implantação das reformas estruturais e também para a aprovação do orçamento de 2000, estão muito centrados em questões pouco nobres para o desenvolvimento econômico e social do país. Isso tudo porque não têm se focado no que realmente interessa para a sociedade brasileira.